quarta-feira, 17 de outubro de 2012

DICAS DE CANTO

Tonight Tonight
Nesse video a aluna escolheu bem a música para sua voz. A tonalidade está adequada para seu registro vocal. Essa música exige a utilização do registro médio agudo, que é a voz falada. Porque a voz cantada neste registro é extensão da voz falada, e tem de parecer com esta. Em outras palavras, você tem que cantar falando. Os erros na voz da aluna são: Excesso de soprosidade; Articulação errada; Nasalidade vocal; Desafinação em algumas notas. Nenhum som deve ser soproso, a soprosidade traz desgaste para as cordas vocais. Um som soproso não tem brilho nem harmônicos bonitos, e perde também volume, diminuindo a possibilidade de dinâmica, que em outras palavras, significa um efeito camaleão para o cantor não ser repetitivo em suas interpretações. A articulação deve ser correta, a movimentação da mandíbula inferior deve ser para baixo e para cima, não se pode empurrar a mandíbula para frente nem movimentá-la para os lados, isso provoca contração no maxilar, dificultando a articulação, e evidentemente trazendo dificuldades para a produção dos fraseados, que são as frases da letra que o cantor está cantando. A nasalidade também é provocada por má articulação ou erro de empostação, que é qual região de ressonância o cantor deve usar para amplificar o som produzido pelo seu corpo. A nasalidade esganiça principalmente as notas agudas, e dá o famoso efeito de voz de criança. A desafinação está totalmente ligada ao diafragma e a empostação, toda nota produzida sem apoio do diafragma traz contração na musculatura do pescoço, e essa contração do pescoço diminui o tempo de duração da saúde vocal, e evidentemente a perda da beleza sonora durante uso prolongado. No proximo post ensinarei os exercícios para todos esses erros. Obrigada a minha aluna Mariane Oliveira por permitir a utilização de seu video para este post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Nasci em Parintins no Amazonas. Vivi no meio da mata onde enfrentei todos os perigos que pessoas  da cidade nem imaginam que existe. Aprendi tarrafiar. Pescar piranha preta e vermelha. Vi meu cachorro ser despedaçado em três pedaços por um tamanduá bandeira de três metros de altura. Cacei veado vermelho e roxo. Tirei jacaré açú da malhadeira. Arranquei tatu do buraco. Arranquei mandioca grande da terra sem quebrar. Cacei cutia. Paca. Comi macaco prego. Onça. Quati. Porco espinho. Fiquei encurralada por um bando de queixada. Comi papagaio em tempo de fome. Peguei juruti na arapuca feita de pau. Tomei água de cipó d'água. Apanhei com pedaço de lenha do fogão de barro. Roubei ovo de inambú açú. Peguei mauari na malhadeira de mica. Mergulhão. Garça branca e morena. Andei sobre o matupá. Vi anhingal andar no rio. Fugi de caba tatu. Levei ferrada de caba de igreja. Fui mordida por piranha vermelha que levou um pedaço do meu dedo. Consegui fugir e me tornar uma das melhores professoras de canto do país. E outras coisas que só caboclo sabe...

Follow by Email